Expansão Criminosa

Comando Vermelho expande domínio no Rio de Janeiro

CV lidera conquistas territoriais nos últimos sete anos, seguido por milícias e facções

Comando Vermelho expande domínio na Região Metropolitana do Rio
Áreas dominadas pelo Comando Vermelho no Rio de Janeiro, conforme mapa atualizado. Foto: Reprodução

Rio de Janeiro – O Comando Vermelho (CV) se destacou como o grupo armado que mais expandiu seu território na Região Metropolitana do Rio de Janeiro nos últimos sete anos, conforme um levantamento realizado pelo Instituto Fogo Cruzado e o Grupo de Estudos dos Novos Ilegalismos da Universidade Federal Fluminense (GENI-UFF).

Em seguida, vêm as milícias, o Terceiro Comando Puro (TCP) e a facção Amigos dos Amigos (ADA).

ESTAMOS NAS REDES

Siga-nos no X

Inscreva-se no no Youtube

O que você precisa saber:

  • O Comando Vermelho conquistou a maioria dos territórios dominados anteriormente por milícias, com 52,9% das novas áreas.
  • Milícias e TCP também expandiram, principalmente em áreas anteriormente controladas pelo CV, com 78,5% e 55,2%, respectivamente.
  • A Polícia Militar do Rio de Janeiro atua em regiões dominadas pelo tráfico de drogas e pela milícia.
  • O CV é o grupo com maior número de conquistas e perdas territoriais, seguido pelas milícias.

Conquistas territoriais e dinâmicas de conflito

O levantamento revela que, em números absolutos, o Comando Vermelho é o grupo que mais ganha e perde territórios.

As milícias também apresentam um grande número de perdas devido aos confrontos armados.

No entanto, as alterações territoriais motivadas por conflitos são raras, ocorrendo em apenas 5,4% dos casos.

Leia Também

Impactos dos confrontos

Maria Isabel Couto, diretora de dados e transparência do Instituto Fogo Cruzado, explica que os confrontos não são o principal fator de expansão dos grupos armados.

As consequências principais são a exposição da população ao risco, fechamento de escolas e interrupção de transportes.

Análise do controle territorial

Daniel Hirata, coordenador do GENI-UFF, destaca a evolução do controle territorial no Grande Rio.

O território dominado por grupos armados dobrou em 16 anos, passando de 9% para 18%. Segundo ele, a “colonização de novas áreas” é a principal causa dessa expansão, apesar dos numerosos confrontos promovidos pelas polícias.