Crise

Saiba quem é Fito, líder de facção que deixou o Equador em estado de emergência

Estado de emergência decretado pelo presidente Daniel Noboa

megaloterias
Fito, líder da facção Los Choneros - Foto: Reprodução
Fito, líder da facção Los Choneros - Foto: Reprodução

A fuga do líder do crime organizado Adolfo Macías, conhecido como Fito, da prisão no Equador, provocou uma onda de violência no país, levando o presidente Daniel Noboa a decretar estado de emergência.

O que você precisa saber:

  • Adolfo Macías, líder da facção criminosa Los Choneros, escapou da prisão no último domingo (7).
  • A fuga provocou rebeliões em várias prisões do país, com agentes penitenciários sendo feitos reféns.
  • O presidente Daniel Noboa decretou estado de emergência em todo o país, permitindo o apoio das Forças Armadas na manutenção da ordem.

Adolfo Macías, de 44 anos, cumpria pena em uma prisão no litoral próximo a Guayaquil, sendo condenado a 34 anos por crime organizado, narcotráfico e homicídio. A imprensa local relata que o criminoso desapareceu pouco antes de ser transferido para uma prisão de segurança máxima. Mais de 3 mil policiais estão mobilizados para procurá-lo, inclusive nos telhados e esgotos da prisão.

Fito já havia escapado da prisão em 2013, navegando em um barco pelo rio Daule. Após essa fuga, continuou a controlar suas operações de tráfico de drogas e, segundo fontes locais, acumulou um patrimônio significativo.

Inicialmente, cogitou-se a possibilidade de Fito ter se escondido dentro da própria penitenciária, controlada pelos Choneros. Essa facção, originária da Província de Manabí, mantém laços significativos com o Cartel de Sinaloa, uma das maiores organizações criminosas do mundo, com base no México.

Além de confrontos com outras facções do narcotráfico, Los Choneros enfrentam acusações de homicídios, roubos e extorsões. As autoridades, inicialmente relutantes em reconhecer publicamente a fuga, foram obrigadas a fazê-lo após rebeliões em várias prisões no país evidenciarem a situação.

A invasão armada de um canal de televisão nesta terça (7) chamou a atenção internacional para a precária situação de segurança pública no país. A autoria dessa invasão ainda não está clara, se é vinculada aos Choneros ou a outro grupo criminoso.

O Equador, por sua localização estratégica e fragilidades institucionais, tornou-se alvo de organizações criminosas que operam não apenas como rota de tráfico, mas também como base para atividades criminosas.

As rebeliões em prisões subsequentes à fuga de Fito levaram o presidente a decretar estado de emergência, permitindo o apoio das Forças Armadas na manutenção da ordem.

Um toque de recolher foi imposto, e medidas de segurança, incluindo uma nova unidade de inteligência e planos para detenção temporária de prisioneiros em navios-prisão, foram implementadas para lidar com a crescente violência no sistema penitenciário equatoriano.

megaloterias
megaloterias