Trabalho

Rio de Janeiro tem saldo de 18,8 mil empregos formais em outubro de 2023

Estado soma 141,98 mil vagas com carteira assinada desde o início do ano. País chega ao patamar de quase 1,8 milhão de vagas criadas em dez meses

megaloterias
Rio de Janeiro tem saldo de 18,8 mil empregos formais em outubro de 2023
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O estado do Rio de Janeiro teve um saldo de 18,8 mil vagas de emprego formais em outubro de 2023. O número é resultado de 127 mil admissões e 108,2 mil desligamentos. Os dados do Novo Caged foram divulgados nesta terça-feira, 28 de novembro, pelo Ministério do Trabalho e Emprego. Desde o início do ano, são 141,98 mil vagas com carteira assinada geradas no estado. O estoque, ou seja, o número total de pessoas com trabalho formal no estado, chegou a mais de 3,53 milhões.

Levando em conta os cinco setores avaliados pelo Novo Caged, o saldo no Rio de Janeiro foi positivo em quatro deles. O setor de Serviços foi o que teve atividade mais intensa, com 10.265 vagas de saldo, a partir de 70,1 mil admissões e 59,8 mil desligamentos. O estoque de pessoas trabalhando nesse setor chegou a mais de 2 milhões. Na sequência aparecem o Comércio (+3.935), a Indústria (+2.874) e a Construção (+2.328). Já a agropecuária teve saldo negativo (-599).

A capital do estado, Rio de Janeiro, puxou a fila do saldo de empregos formais em outubro de 2023. Foram 10.733, resultado de 66,2 mil contratações e 55,5 mil demissões. Na sequência dos cinco municípios com melhor saldo aparecem Macaé (+1.028), Duque de Caxias (+998), Itaboraí (+491) e Paraíba do Sul (+385).

NACIONAL — O Brasil fechou outubro de 2023 com um saldo de 190.366 vagas formais de trabalho. No período, houve 1,94 milhão de admissões e 1,75 milhão de desligamentos. São mais de 30 mil empregos a mais do que os gerados em outubro de 2022. Desde o início do ano, o país acumula saldo de quase 1,8 milhão de empregos formais. A variação em dez meses é positiva nos cinco grandes setores da economia e nas 27 unidades da Federação.

Os dados do Novo Caged indicam também que o estoque total, ou seja, o número de brasileiros que estavam trabalhando com carteira assinada em outubro de 2023, chegou a 44,22 milhões, o maior já registrado na série histórica levando em conta tanto o período do Caged (junho de 2002 a 2019) quanto do Novo Caged (a partir de 2020). Em outubro, a variação foi positiva em quatro dos cinco setores e em 26 das 27 unidades Federativas.

OUTROS DESTAQUES

→ O maior crescimento do emprego formal ocorreu no setor de Serviços, com saldo de 109.939 postos formais de trabalho. Destacam-se áreas como informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas (saldo de +65.128).

→ O segundo maior gerador de postos de trabalho foi o Comércio, com +49.647 postos de trabalho. Destacam-se o Comércio Varejista de Mercadorias em Geral, com Predominância de Produtos Alimentícios – Supermercados (+6.307) e Hipermercados (+1.925), além de Artigos de Vestuário (+5.026).

→ O terceiro maior crescimento ocorreu na Indústria, com saldo de +20.954 postos de trabalho. Destacam-se a fabricação de açúcar em bruto, com saldo de +1.500, especialmente em Alagoas (+1.268), e a fabricação de móveis, com saldo de +1.330.

→ A Construção Civil teve saldo de +11.480 postos formais. A Construção de Edifícios teve saldo de +3.652.

→ A Agropecuária foi o único setor que gerou saldo negativo (-1.656), decorrente da desmobilização do café (-2.850), do cultivo de alho (-1.677), de batata-inglesa (-1.233) e de cebola (-1.138), que superaram o aumento na Produção de Sementes (+4.088).

GRUPOS POPULACIONAIS — O saldo foi positivo para mulheres (+90.696) e homens (+99.671). No que se refere às pessoas com deficiência, foram +1.699 postos de trabalho. A relação foi positiva também para pardos (+110.240), brancos (+64.660), pretos (+22.300), amarelos (+15.395) e indígenas (+652).

FAIXA ETÁRIA — Desagregado por faixa etária, o saldo foi de (+20.111) para jovens até 17 anos, (+115.732) para 18 a 24 anos; (+24.139) para 25 até 29 anos; (+21.387) para 30 a 39 anos; (+17.238) para 40 a 49 anos; (-3.307) para 50 a 64 anos.

SALÁRIOS — O salário médio real de admissão foi de R$ 2.029,33, apresentando estabilidade com decréscimo de R$ 5,18 (-0,3%) em comparação com o valor corrigido de setembro (R$ 2.034,51). Já em comparação com o mesmo mês do ano anterior, o ganho real foi de R$ 16,34 (0,8%).

megaloterias
megaloterias