FGV na Banca

Concurso da PM do Rio de Janeiro para 2 mil soldados será retomado em dezembro

FGV será a nova banca organizadora; concurso foi suspenso por falhas na primeira prova e por cota de gênero

megaloterias
Concurso da PM do Rio poderá ser retomado, mas sem cota para mulheres
Polícia Militar do Rio de Janeiro - Foto: Tânia Rego - Agência Brasil

O processo seletivo para preencher 2 mil vagas para o curso de formação de soldados da Polícia Militar do Rio de Janeiro (PMERJ) será retomado em dezembro, após a contratação da Fundação Getulio Vargas (FGV) para realizar o concurso.

O que você precisa saber:

  • O concurso foi suspenso em agosto por falha na primeira prova escrita objetiva.
  • O contrato com o Ibade, a primeira banca organizadora, foi rompido.
  • O STF determinou a suspensão do concurso por cota de gênero, mas o acordo com a Procuradoria-Geral do Estado garantiu a continuidade do concurso sem cotas.

O concurso foi suspenso no fim de agosto deste ano em função de falha na aplicação da primeira prova escrita objetiva. Em consequência da irregularidade, foi rompido o contrato com o Instituto Brasileiro de Apoio de Desenvolvimento Executivo (Ibade), instituição que venceu a licitação no início do ano, para realizar o concurso.

Durante o período de paralisação do processo seletivo, a Polícia Militar resolveu também uma questão jurídica que surgiu em outubro, quando o Supremo Tribunal Federal (STF) determinou a suspensão do concurso por considerar inconstitucional a cláusula do edital que limitava o ingresso de mulheres com uma cota de 10%.

Um acordo obtido pela Procuradoria-Geral do Estado junto ao STF garantiu a continuidade do concurso, com a eliminação da cláusula. Ficou estabelecido que a classificação passa a ser pelo critério de notas, independentemente do sexo do candidato.

A Diretoria de Recrutamento e Seleção de Pessoal da Polícia Militar já iniciou os entendimentos com a FGV para estabelecer um novo calendário de provas. De acordo com a Diretoria de Recrutamento, os quase 120 mil candidatos inscritos não serão prejudicados.

megaloterias
megaloterias