Não deixou barato

Cappelli detona editorial do Estadão sobre caso Marielle: 'Defende os assassinos?'

Secretário-executivo do MJSP acusa jornal de insinuar nulidades processuais e defender impunidade

megaloterias
Marielle Franco. Foto: Nunah Alle/Mídia NINJA/Flickr
Marielle Franco - Foto: Nunah Alle -Mídia NINJA/Flickr

Ricardo Cappelli, secretário-executivo do Ministério da Justiça e Segurança Pública, criticou duramente o editorial do jornal O Estado de S. Paulo sobre o caso Marielle Franco.

Em artigo publicado na última sexta-feira (13), o Estadão acusou o governo federal de “instrumentalizar” a Polícia Federal (PF) na investigação do assassinato da vereadora carioca. O jornal também criticou o novo ministro da Justiça, Ricardo Lewandowski, por suas “sólidas relações com o lulopetismo”.

Cappelli, que foi secretário de Segurança Pública do Maranhão durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, rebateu as acusações do Estadão. Ele afirmou que o jornal “ultrapassa todos os limites” e insinua “nulidades processuais”.

“O que busca? Ataca a Polícia Federal com que intenção? Defender os assassinos de Marielle? Ninguém ficará impune”, escreveu Cappelli em sua conta no Twitter.

O secretário-executivo do MJSP também destacou que o caso Marielle é um “crime bárbaro que precisa ser esclarecido”.

megaloterias
megaloterias