Alerj discute aumento do efetivo policial e nova central de flagrantes em Duque de Caxias

megaloterias

A Comissão de Segurança Pública e Assuntos de Polícia, da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) realizou audiência pública nesta segunda-feira (08/05), no plenário da sede do Parlamento, para debater o avanço da violência em Duque de Caxias. O município é cortado por três rodovias federais, a BR-040 (Rio-Petrópolis), BR-116 (Rio-Teresópolis) e BR-463 (Arco Metropolitano), que influem diretamente nos indicadores de segurança da cidade da Baixada Fluminense. Outro aspecto apontado pelos agentes de segurança, e que interfere nos índices de letalidade violenta, é a disputa territorial entre grupos criminosos. Por isso, entre as ações pontuadas na audiência para se buscar minimizar esse problema estão a necessidade de aumento do efetivo policial e a criação de uma nova central de flagrantes na região.

Segundo dados do Instituto de Segurança Pública (ISP), entre janeiro e março de 2023, houve aumento de 32,1% nos registros de roubos de carga em Duque de Caxias, em relação aos três primeiros meses do ano passado. Foram contabilizados 284 casos neste ano contra 215 entre janeiro e março de 2022.

O comandante do 15º Batalhão de Polícia Militar (BPM), coronel Heitor Pereira, pontuou os principais problemas verificados em Duque de Caxias. “Hoje, a BR-040 e a BR-493 são vias que impactam nos principais indicadores de violência na região: roubo de carga, de veículo, roubo de rua e letalidade violenta. O aumento de efetivo policial na BR-040 foi de 300% na minha gestão”, comentou o comandante, acrescentando que se ressente de uma efetiva participação da Polícia Rodoviária Federal no enfrentamento a esses delitos nas rodovias citadas.

Presidente da Comissão da Alerj, o deputado Márcio Gualberto (PL) disse que as demandas apresentadas pelos policiais serão enviadas às corporações e ao Executivo fluminense. “Vamos encaminhar essas demandas para as secretarias de Polícia Civil, Polícia Militar e também para o Governo do Estado. A área de Duque de Caxias é muito grande e conflagrada, com várias áreas de risco. É necessário uma quarta central de flagrantes ali, mas, para que isso aconteça, é preciso ter efetivo que é outro problema crônico, principalmente da Polícia Civil. É uma demanda da Comissão de Segurança Pública que o governador chame todos os aprovados em concursos na área de segurança”, salientou o parlamentar.

O deputado estadual Marcelo Dino (União), que é policial militar reformado e foi vereador em Duque de Caxias, endossou a palavras de Gualberto e enfatizou a importância de haver um efetivo mais robusto para as forças de segurança. Ele ainda disse ter sido informado, pelo Comando da Polícia Militar, que está sendo estudada uma parceria com hospitais para o atendimento a agentes. “O intuito dessas reuniões é fortalecer nossas corporações. Nós, enquanto população, somos os maiores clientes da polícia, seja Militar ou Civil. Hoje, os maiores problemas, se for perguntar aos delegados e coronéis, são o efetivo reduzido e a falta de viaturas”, ressaltou.

Giniton Lages, chefe do Departamento Geral de Polícia da Baixada (DGPB), acrescentou que a Polícia Civil tem a expectativa de ampliar seu efetivo na região, possibilitando a instalação da quarta central de flagrantes – atualmente, a região possui três delegacias que recebem esse tipo de ocorrência. “Estamos na expectativa de o DGPB receber o efetivo que nos possibilite montar uma quarta central de flagrantes. Essa é uma necessidade da Baixada Fluminense”, destacou.

Kit demolição de barricadas

De acordo com o coronel Roberto Dantas, comandante do 3º Comando de Policiamento de Área (CPA), que atende a 13 municípios da Baixada, já foram removidas 203 toneladas de entulho, provenientes de barricadas. Ele defendeu que todos os batalhões tenham o “kit demolição”, que serve para remover os obstáculos.

“Nesse primeiro quadrimestre, recebemos um aporte de 186 policiais militares; 38 viaturas novas e há a promessa de recebermos mais. Cada unidade ganhou um blindado novo, que nos possibilita entrar em qualquer área e recebemos também o ‘kit demolição’, composto de retroescavadeira, caminhão-prancha para transporte e um caminhão-basculante grande, para retirar barricadas”, contou Dantas.

Também estiveram presentes na audiência pública o deputado Carlinhos BNH (PP); o delegado André Barbosa, titular da 59ª DP (Duque de Caxias); e o delegado Flávio Rodrigues, titular da 60ª DP (Campos Elíseos). Os agentes públicos pontuaram a necessidade da presença da Polícia Rodoviária Federal (PRF), além da Polícia Federal, para debaterem o assunto em uma futura audiência.

megaloterias
megaloterias