Acordo Mercosul-UE

Lula culpa protecionismo europeu por impasse no acordo Mercosul-UE

Presidente brasileiro afirma que acordo não foi por falta de vontade da América do Sul

megaloterias
Bandeiras do Brasil e do Mercosul - - Foto: Marcos Oliveira/ Ag Senado
Bandeiras do Brasil e do Mercosul - - Foto: Marcos Oliveira/ Ag Senado

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou, neste domingo (3), que caso não haja o acordo comercial entre Mercosul e União Europeia (UE), não foi por falta de vontade dos sul-americanos, mas por protecionismo dos europeus.

O que você precisa saber:

  • Lula diz que impasse no acordo Mercosul-UE é por protecionismo europeu.
  • Presidente brasileiro defende alterações em pontos do acordo sobre licitações de compras governamentais.
  • Aprovado em 2019, acordo precisa ser ratificado pelos parlamentos de todos os países dos dois blocos para entrar em vigor.

Corpo do texto:

Lula se reuniu com o presidente da França, Emmanuel Macron, na tentativa de avançar com a negociação, mas o encontro não surtiu efeito. Macron é um dos principais opositores do acordo, que considera “incoerente” e “mal remendado”.

Segundo Lula, a França é protecionista sobre seus interesses agrícolas. Além disso, o presidente brasileiro defende alterações em pontos do acordo de livre comércio sobre licitações de compras governamentais, pois, para ele, é uma política indutora do desenvolvimento da indústria nacional e oportunidade para pequenas e médias empresas.

O acordo Mercosul-UE precisa ser ratificado pelos parlamentos de todos os países dos dois blocos para entrar em vigor. A negociação envolve 31 países. Ele cobre temas tanto tarifários quanto de natureza regulatória, como serviços, compras públicas, facilitação de comércio, barreiras técnicas, medidas sanitárias e fitossanitárias e propriedade intelectual.

megaloterias
megaloterias