Gabinete do Ódio

Joice Hasselmann detona Carluxo: "Psicopata"

Ex-aliada de Bolsonaro, Joice Hasselmann faz graves acusações contra Carlos Bolsonaro em entrevista ao ICL.

megaloterias
Joice Hasselmann: De aliada fiel a desafeto ferrenho, ex-deputada acusa Carlos Bolsonaro de arquitetar "Abin paralela" e revela ameaças de morte
Joice Hasselmann: De aliada fiel a desafeto ferrenho, ex-deputada acusa Carlos Bolsonaro de arquitetar "Abin paralela" e revela ameaças de morte

Rio de Janeiro, 03 de fevereiro de 2024 – A ex-deputada Joice Hasselmann, que já foi uma aliada ferrenha do presidente Jair Bolsonaro (PL), protagonizou uma reviravolta estrondosa ao lançar graves acusações contra o filho do mandatário, Carlos Bolsonaro (Republicanos).

Em entrevista ao Instituto Conhecimento Liberta (ICL), Joice descreveu Carluxo como um “psicopata capaz de qualquer coisa” e o acusou de ser o arquiteto por trás da proposta da “Abin paralela”, um serviço secreto paralelo que visava espionar e intimidar adversários políticos.

O rompimento entre Joice e Bolsonaro em 2019, quando ela era líder do governo no Congresso, foi marcado por um conflito interno no PSL, que se fundiu com o DEM. Joice se rebelou contra a tentativa do clã Bolsonaro de remover Delegado Waldir (União) da liderança na Câmara em favor de Eduardo Bolsonaro (PL). Como retaliação, Bolsonaro a substituiu por Eduardo Gomes (PL) e Joice se tornou alvo do “Gabinete do Ódio”, recebendo ameaças de morte e estupro de radicais associados a Carlos Bolsonaro.

Joice corrobora as alegações de Gustavo Bebianno, ex-ministro da Secretaria-Geral da Presidência, sobre a origem da “Abin paralela”, atribuindo a ideia a Carlos Bolsonaro. Segundo ela, a proposta encontrou apoio imediato de Bolsonaro, que buscava controlar os órgãos de segurança. A ex-deputada também destaca a proximidade entre Carlos Bolsonaro e Alexandre Ramagem, ex-diretor-geral da Polícia Federal, sugerindo uma comunicação direta para coordenar ataques e grampos telefônicos.

As graves denúncias de Joice Hasselmann abrem um novo capítulo na turbulenta relação entre ela e a família Bolsonaro. A ex-aliada se transforma em uma voz dissonante e potencialmente perigosa para o governo, lançando luz sobre um esquema de espionagem e intimidação que pode ter graves implicações para a democracia brasileira.

Desdobramentos:

  • Acusações de Joice Hasselmann podem levar a novas investigações sobre o “Gabinete do Ódio” e a “Abin paralela”.
  • Proximidade entre Carlos Bolsonaro e Alexandre Ramagem pode ser alvo de escrutínio por parte do Congresso Nacional.
  • Rompimento entre Joice e Bolsonaro pode ter impacto nas eleições presidenciais de 2026.

Frase marcante:

  • “O Carlos Bolsonaro é um psicopata capaz de qualquer coisa.” – Joice Hasselmann

Contexto:

  • Joice Hasselmann foi eleita deputada federal pelo PSL em 2018, com forte apoio de Jair Bolsonaro.
  • Em 2019, ela se tornou líder do governo no Congresso, mas rompeu com Bolsonaro após a tentativa de instalar Eduardo Bolsonaro na liderança da Câmara.
  • Desde então, Joice se tornou alvo de ataques do “Gabinete do Ódio” e denunciou a existência da “Abin paralela”.

Repercussão:

  • As graves denúncias de Joice Hasselmann repercutiram amplamente na mídia e nas redes sociais.
  • A hashtag #JoiceHasselmann se tornou um dos tópicos mais comentados no Twitter.
  • Políticos e especialistas se manifestaram sobre o caso, pedindo apuração rigorosa das denúncias.

O que esperar:

  • As denúncias de Joice Hasselmann podem ter impacto significativo na política brasileira.
  • É possível que novas investigações sejam abertas e que o “Gabinete do Ódio” e a “Abin paralela” sejam finalmente desmantelados.
  • O caso também pode ter impacto nas eleições presidenciais de 2026
megaloterias
megaloterias