Tempo da Verdade

Gleisi Hoffmann celebra operação da PF contra Bolsonaro

Gleisi Hoffmann, líder do Partido dos Trabalhadores, analisa a Operação Tempus Veritatis como o momento da verdade e aponta detalhes dos planos golpistas de Bolsonaro e aliados.

megaloterias
Gleisi Hoffmann, presidente do PT. Foto: reprodução
Gleisi Hoffmann, presidente do PT. Foto: reprodução

Nesta quinta-feira (8), a presidente do Partido dos Trabalhadores, Gleisi Hoffmann, expressou sua satisfação em relação à Operação Tempus Veritatis conduzida pela Polícia Federal. Em uma publicação no X, a parlamentar destacou que “o tempo da verdade chegou”, referindo-se às revelações dos planos golpistas do ex-presidente Jair Bolsonaro e seus aliados desvendados pela PF.

Gleisi Hoffmann, deputada federal pelo Paraná, enfatizou que a tentativa de golpe liderada por Bolsonaro contra Lula e a democracia envolveu cúmplices civis e militares, incluindo ex-ministros e altas patentes. Ela ressaltou que as ações da PF foram resultado de uma minuciosa investigação sob supervisão do Supremo Tribunal Federal, eliminando possíveis argumentos da extrema-direita.

O que você precisa saber:

  • Gleisi Hoffmann, presidente do PT, comemora desmantelamento de golpe em post no X.
  • A líder petista destaca detalhes dos planos golpistas, desafiando argumentos da extrema-direita.
  • Crimes como a minuta do golpe e espionagem sobre o ministro Alexandre Moraes são mencionados.
  • Gleisi Hoffmann enfatiza a importância de julgar e punir os responsáveis pelo golpe.

Desvendando os Detalhes: Gleisi detalhou alguns dos crimes vinculados à tentativa de golpe, incluindo a minuta do plano, a espionagem sobre o ministro Alexandre Moraes com o objetivo de sua prisão e a movimentação ilegal de dinheiro público. A deputada salientou que todos esses elementos foram fundamentais para a decisão que desencadeou a operação policial.

Chamando à Responsabilidade: Ao concluir sua análise, Gleisi Hoffmann não hesitou em declarar que “o tempo agora é de julgar e punir exemplarmente os comandantes do golpe, a começar pelo chefe inelegível”, referindo-se diretamente a Jair Bolsonaro.

megaloterias
megaloterias