Sai do seu bolso

Ataques golpistas à Praça dos Três Poderes custaram R$ 21,1 milhões em restauração

Reconstrução do Palácio do Planalto, do STF e do Congresso Nacional ainda não foi totalmente concluída

megaloterias
Manifestantes golpistas destroem prédios públicos no 8 de janeiro - Marcelo Camargo/Agência Brasil
Manifestantes golpistas destroem prédios públicos no 8 de janeiro - Marcelo Camargo/Agência Brasil

A recuperação das peças depredadas nos ataques golpistas de 8 de janeiro de 2023, em Brasília, já custou cerca de R$ 21,1 milhões aos cofres públicos.

O maior prejuízo foi no STF, onde foram destruídos 135 itens de valor histórico. No Palácio do Planalto, o prejuízo foi de R$ 4,3 milhões, e no Congresso Nacional, de R$ 3,9 milhões.

O que você precisa saber:

  • Os ataques golpistas de 8 de janeiro de 2023 resultaram na destruição de cerca de 300 peças de valor histórico e cultural nos Três Poderes.
  • O maior prejuízo foi no STF, onde foram destruídos 135 itens de valor histórico, incluindo painéis do fotógrafo Sebastião Salgado.
  • No Palácio do Planalto, o prejuízo foi de R$ 4,3 milhões, e no Congresso Nacional, de R$ 3,9 milhões.
  • Até o momento, cerca de 170 peças já foram restauradas, mas outras 53 ainda não foram totalmente reparadas.

Os ataques golpistas de 8 de janeiro de 2023, em Brasília, deixaram um rastro de destruição nos Três Poderes. Cerca de 300 peças de valor histórico e cultural foram vandalizadas por apoiadores do então presidente Jair Bolsonaro, que não aceitaram o resultado das eleições de 2022.

O maior prejuízo foi registrado no Supremo Tribunal Federal (STF), onde foram destruídos 135 itens, incluindo painéis do fotógrafo Sebastião Salgado, mobiliário histórico da corte e obras de arte. O prejuízo total no STF foi de cerca de R$ 12 milhões.

No Palácio do Planalto, o prejuízo foi de R$ 4,3 milhões. Foram destruídos itens como mobiliário, obras de arte e equipamentos eletrônicos.

No Congresso Nacional, o prejuízo foi de R$ 3,9 milhões. Foram destruídos itens como obras de arte, mobiliário e presentes diplomáticos.

A recuperação das peças vandalizadas tem sido um processo lento e custoso. Até o momento, cerca de 170 peças já foram restauradas, mas outras 53 ainda não foram totalmente reparadas.

O restauro da tapeçaria de Burle Marx, que fica no Senado Federal, foi o mais complexo e custou R$ 250 mil. A peça precisou ser transportada até São Paulo para passar pelos cuidados de técnicos da Universidade de São Paulo e de especialistas em um processo que durou três meses.

A tapeçaria será entregue simbolicamente em ato marcado para a próxima segunda-feira, dia 8, para marcar um ano dos ataques.

megaloterias
megaloterias