Intolerância

Jornalista brasileira é investigada por declarações sobre Gaza

Delegacia de Combate à Intolerância de Porto Alegre encerra investigação sobre comentários polêmicos

megaloterias
Aline Leal Fontanella Klemt – Reprodução
Aline Leal Fontanella Klemt – Reprodução

A Delegacia de Combate à Intolerância de Porto Alegre concluiu o inquérito envolvendo Aline Leal Fontanella Klemt, comentarista do programa Atualidades, que defendeu a dizimação da população palestina da Faixa de Gaza em declarações polêmicas no dia 10 de outubro de 2023.

O que você precisa saber:

  • Investigação Encerrada: Delegacia conclui inquérito sobre declarações controversas de Aline Leal Fontanella Klemt.
  • Afirmação Polêmica: Comentarista defendeu a dizimação da população palestina na Faixa de Gaza.
  • Defesa de Aline: Comentarista não nega a declaração, mas afirma que se referia apenas aos integrantes do Hamas.
  • Contradição da Delegada: Delegada contradiz Aline, destacando que ela fez distinção entre o grupo Hamas e a população em geral.
  • Monitoramento da FEPAL: Federação Árabe Palestina do Brasil continua monitorando o caso e outros semelhantes.

Contradições e Monitoramento: Durante o interrogatório, Aline não negou ter defendido a dizimação da população, mas alegou que sua fala se referia apenas aos integrantes do Hamas. Contudo, a delegada responsável pelo caso contradiz essa afirmação, destacando que Aline fez uma diferenciação entre o grupo Hamas e a população em geral, sugerindo uma lavagem cerebral.

Posicionamento da FEPAL: A FEPAL, responsável pela solicitação do inquérito, continuará monitorando o caso e outros similares em andamento nos tribunais brasileiros, especialmente no Rio Grande do Sul e em outros estados. O Ministério Público do RS também solicitou a inclusão dos registros criminais da acusada.

megaloterias
megaloterias