Javier Milei toma posse como presidente da Argentina

Economistas liberais e presidentes de diversos países participam da cerimônia

megaloterias
Javier Milei toma posse na Argentina - Reprodução
Javier Milei toma posse na Argentina - Reprodução

Javier Milei, economista liberal e ex-deputado federal, tomou posse como presidente da Argentina neste domingo (10).

O que você precisa saber:

  • Javier Milei foi eleito em novembro de 2023, derrotando o peronista Sergio Massa nas urnas.
  • A cerimônia de posse foi realizada no Congresso Nacional da Argentina e contou com a presença de diversos presidentes de países estrangeiros.
  • Milei não discursou na cerimônia, mas posou para fotos e acenou para apoiadores.

A cerimônia de posse começou por volta das 11h15, sem a presença de Milei, e foi conduzida pela presidente do Senado, Cristina Kirchner. O novo mandatário foi declarado presidente do país às 11h20 da manhã.

Por volta das 11h45, Milei chegou ao local após ter desfilado em carro por diversas ruas da capital argentina, sendo saudado por eleitores e acompanhado de sua irmã, Karina Milei.

Já no Congresso, ele foi saudado sob gritos de “Liberdade”, antes de fazer o juramento de seguir a Constituição e receber o bastão e a faixa presidencial do ex-presidente Alberto Fernández. Em seguida, Milei posou para fotos e acenou para apoiadores, mas não discursou.

Javier Milei toma posse como presidente da Argentina

O presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, foi convidado para a cerimônia, mas acabou enviando o chanceler Mauro Vieira para representá-lo.

Outros presidentes confirmaram presença e deverão cumprimentar o novo presidente em cerimônia prevista para a tarde de hoje, na Casa Rosada. Entre eles estão os presidentes do Paraguai, Uruguai e Equador.

Da Europa, confirmaram presença o primeiro-ministro da Hungria e o presidente da Armênia. O presidente da Ucrânia Volodymyr Zelensky também está na posse, além do ex-presidente Jair Bolsonaro.

Depois da cerimônia na Casa Rosada, as celebrações de posse de Milei devem terminar no Teatro Colón, à noite

megaloterias
megaloterias