Abuso de Autoridade

CNJ investiga juíza que gritou com testemunha em audiência

Conduta da juíza Kismara Brustolin durante audiência é alvo de apuração pelo CNJ e TRT12.

megaloterias
CNJ investiga juíza que gritou com testemunha em audiência

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) anunciou uma investigação sobre a juíza Kismara Brustolin, da Vara do Trabalho de Xanxerê (SC), por sua conduta durante uma audiência virtual em que elevou o tom de voz com uma testemunha.

A medida foi tomada após a Corregedoria Regional do Tribunal Regional do Trabalho da 12ª Região (TRT12) instaurar um procedimento de investigação e suspender as audiências da magistrada.

O que você precisa saber:

  • CNJ abre apuração sobre a conduta da juíza Kismara Brustolin.
  • Corregedoria do TRT12 também investiga o caso e suspende audiências da magistrada.
  • Vídeo viral nas redes sociais mostra juíza gritando com testemunha durante audiência virtual.
CNJ abre procedimento para investigar juíza que gritou com testemunha

Investigação do CNJ: O corregedor-nacional, ministro Luis Felipe Salomão, determinou a abertura de uma reclamação disciplinar contra a juíza, alegando possível violação de deveres funcionais, incluindo o dever de urbanidade.

Procedimento do TRT12: A Corregedoria Regional do TRT12 informou a instauração de um procedimento de investigação sobre o comportamento da juíza e suspendeu temporariamente suas audiências.

Repercussão da OAB: A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Santa Catarina solicitou providências para evitar a repetição do comportamento da juíza, expressando preocupação com sua conduta.

Detalhes do Caso: Durante uma audiência virtual em 14 de novembro, a juíza Kismara Brustolin exigiu ser chamada de “Excelência” por uma testemunha, elevando o tom de voz e desconsiderando o depoimento quando o pedido não foi atendido

megaloterias
megaloterias