Escândalo

Deepfake Pornô de Taylor Swift choca fãs e políticos nas redes

Imagens falsas geradas por IA causam revolta online; X (antigo Twitter) enfrenta críticas por flexibilidade em políticas de nudez

megaloterias
Taylor Swift - Foto: Reprodução Instagram
Taylor Swift - Foto: Reprodução Instagram

Nesta sexta-feira (26), as redes sociais foram abaladas por imagens pornográficas falsas de Taylor Swift, geradas por inteligência artificial, causando indignação entre fãs e políticos. Uma das imagens alcançou 47 milhões de visualizações no X (antigo Twitter) antes de ser retirada do ar após 17 horas de circulação. Este escândalo expõe a flexibilidade das políticas de nudez do X, propriedade do bilionário Elon Musk, em comparação com outras plataformas como o Facebook e o Instagram.

O que você precisa saber:

  • As imagens pornográficas falsas de Taylor Swift, criadas por IA, viralizaram, gerando repúdio online.
  • Uma das imagens teve 47 milhões de visualizações no X antes de ser removida após 17 horas.
  • A flexibilidade do X em relação à nudez é questionada, contrastando com políticas mais rígidas de outras redes.

Reações nas Redes Sociais: Fãs e políticos expressaram indignação diante das imagens falsas, levantando debates sobre os limites da liberdade de expressão online.

Desafios da Moderação: O episódio evidencia os desafios enfrentados pelas plataformas na moderação de conteúdo, especialmente em relação a deepfakes e imagens não consensuais.

Comparação de Políticas: A flexibilidade do X em relação à nudez levanta questionamentos sobre a necessidade de padrões mais rígidos em todas as plataformas.

Elon Musk na Mira: O bilionário Elon Musk, proprietário do X, enfrenta críticas por suas políticas menos restritivas em comparação com outras redes sociais.

megaloterias
megaloterias