Bem Estar

Dicas para evitar a ressaca e curtir o carnaval com saúde e bem-estar

Endocrinologista explica o que é ressaca e como evitá-la

megaloterias
Dicas para evitar a ressaca e curtir o carnaval com saúde e bem-estar
Foto de Bash Visual na Unsplash

O exagero no consumo de bebida alcoólica durante o carnaval é comum. Como consequência tem-se ressaca e disfunções alimentares. A endocrinologista e metabologista pala USP, Dra. Paula Pires explica como evitar o mal-estar com alimentação e bebidas adequadas.

“A ressaca ocorre porque para absorver e metabolizar grande quantidade de bebida alcoólica, o organismo tem de se desdobrar e acaba sobrecarregando outros órgãos no processo. O fígado sofre mais por produzir as enzimas que ajudam na absorção do álcool. Além disso, demora a entender que deve parar de trabalhar. Assim, quando o álcool já se foi, a concentração dessas enzimas, que são muito tóxicas, ainda é alta, o que gera um desequilíbrio. O sistema nervoso, que se adequou a esse ritmo errado do corpo, acompanha a crise de abstinência. O resultado geral é dor de cabeça, desidratação, enjoo, diarreia e extremo cansaço”, detalha a médica.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a dose padrão para consumo de bebida alcoólica é de aproximadamente 10 a 12 g de álcool puro, o equivalente a uma lata de cerveja ou chope (330 ml), uma taça de vinho (100 ml) ou uma dose de destilado (30 ml). “Bebidas como uísque, vinho tinto, tequila e conhaque causam ressacas piores do que o vinho branco, cerveja ou bebidas claras, como vodca ou gim. Porém, não significa que cerveja ou vodca não provoquem ressaca”, alerta a especialista.

O que fazer para evitar a terrível ressaca? Dra. Paula Pires deixa as dicas:

 Antes da festança:

– Hidrate-se com antecedência! Dê preferência a água e sucos naturais, de 2 a 3 litros/dia;

– Evite frituras e alimentos ricos em gorduras; prefira carnes magras;

– Pratique atividade física, principalmente aeróbica, para aumentar a resistência física;

Durante:

– Hidrate-se a todo o momento! A transpiração eletrólitos – sódio, potássio, magnésio e cloro;

– O consumo de álcool deve ser moderado e nunca em jejum; consuma alimentos leves.

– Fuja das frituras. Além de alto teor de gordura, dão sensação de estômago pesado e moleza;

Após:

– Para quem exagerou, vem a ressaca. Repouse, descanse e relaxe;

– A ingestão de água e suco durante todo o dia diminui o tempo da recuperação;

– Coma leve, frutas e verduras, e prefira sopas e caldos, evitando, alimentos gordurosos.

Estou de ressaca. O que fazer?

“Não há nenhum remédio que a cure nem acelere o metabolismo do etanol. De nada adianta: banho frio, café, chás, produtos com cheiro forte ou qualquer outra medicação caseira. O essencial é hidratação, carboidratos e bastante repouso. Habitualmente, a ressaca melhora até o final do dia”, conta a médica.

O que alguns medicamentos fazem é aliviar os sintomas (analgésicos, antiácidos ou anti-histamínicos). Sucos, água-de-coco e isotônicos (sem álcool) repõem água, sais minerais e vitaminas perdidos. O refrigerante não hidrata, mas ajuda contra a queda da glicose.

Portanto, tomar medicamentos antirressaca tem pouco fundamento científico. “São drogas que misturam substâncias contra náuseas, analgésicos e cafeína, tentando amenizar alguns dos sintomas. Seu efeito não perdura muito e alguns contêm anti-inflamatórios ou aspirina, que irritam o estômago. A maioria não age sobre a desidratação, sobre a hipoglicemia, nem sobre a irritação que o acetaldeído provoca nas células. “O problema maior é: além de não funcionar bem como prevenção, ainda pode estimular o indivíduo a beber mais, por sentir-se protegido contra os efeitos do consumo exagerado”, frisa a médica.

Em poucas palavras, como prevenir, então? Quanto às bebidas:

1 – Nunca beba com estômago vazio, pois o álcool cai na corrente sanguínea em 30 min;

2 – Tome devagar e sempre depois de ingerir alimentos com proteínas e carboidratos;

3 – Uma alternativa é beliscar durante a festa enquanto bebe, pois ajuda a retardar a absorção;

4 – Beba muita água antes, durante e depois da festa. É a melhor dica;

5 – Toda vez que urinar, beba água, suco, isotônico ou refrigerantes (com açúcar, último caso);

6 – Beba muitos líquidos ao acordar e, se não tomar café sempre, evite-o, pois é diurético.

Quanto à comida:

1 – Coma carboidratos (frutas, cereais, grãos e massas com dê preferência aos integrais);

2 – Tome um café da manhã reforçado (frutas, leite, cereais integrais, iogurte, queijo ou ovo;

3 – Não pule refeições ou fique horas sem comer;

4 – Beba de 2 a 3 litros de água por dia. Se dificuldade, opte por chás gelados e água de coco;

5 – Antes de sair de casa, faça uma boa e saudável refeição para não chegar com muita fome;

6 – Para ter energia, comida leve: salada, proteína, leguminosa e carboidrato (batata doce ou inglesa, macarrão, mandioca e arroz) para aguentar a festa toda!

Paula Pires
Paula Pires

Paula Pires – CRM/SP 138.809

Especialista em Endocrinologia e Metabologia – RQE nº 47818

Especialista em Endocrinologia Pediátrica – RQE nº 47818-1

Especialista em Clínica Médica – RQE nº 47817

Como endocrinologista e clínica geral, presta atendimento a todas as faixas etárias, desde a infância até a terceira idade, seguindo o crescimento, a puberdade e o desenvolvimento até o envelhecimento e suas alterações hormonais características.

Especialista em Endocrinologia, Metabologia e Clínica Médica

  • Graduação pela Faculdade de Medicina da Universidade de Brasília – UnB.
  • Residência Médica em Clínica Médica pela UNICAMP.
  • Residência Médica em Endocrinologia pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FM USP).
  • Título de Especialista pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia- SBEM.
  • Título de Especialista pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia Pediátrica.
  • Membro da Endocrine Society, SBEM e ABESO.
  • Preceptora de Endocrinologia no Hospital Beneficência Portuguesa (2014-2016)- discutindo casos endocrinológico e dando aulas sobre temas diversos na área de endocrinologia.
  • Médica Endocrinologista da Saúde do Colaborador do Hospital Sírio Libanês até 06/2017.
  • Faz parte do Corpo Clínico dos Hospitais Sírio Libanês, Nove de Julho e Albert Einstein.
  • Sócia Proprietária da Clínica Essenza.
  • Fez o curso de Medicina do Estilo de Vida (Lifestyle Medicine) e gerenciamento do stress, sono e qualidade de vida pela Harvard Medical School- Curso: Tools for Promoting Healthy Change, junho de 2017 e de 2018.
  • Membro ativa do American College de Lifestyle Medicine.
  • Fez o curso em “Culinary Coaching” pelo Instituto de Medicina do Estilo de Vida do Spaulding Rehabilitation Hospital-Harvard Medical School- 2018.
  • Idealizadora do projeto “Médicos na Cozinha” e editora do livro “Médicos na Cozinha”.
megaloterias
megaloterias