Eleições 2024

André Ceciliano, cotado para vice de Paes, deixa o cargo em Brasília para percorrer o estado do Rio, articulando chapas

Ex-secretário busca fortalecer chapas municipais e apoio a Eduardo Paes

André Celiliano (Foto: Divulgação)
André Celiliano (Foto: Divulgação)

Mal havia saído sua exoneração do cargo de Secretário Especial para Assuntos Federativos – a pedido –, no Diário Oficial da União (DOU), e André Ceciliano já desembarcou no Rio, nesta sexta-feira (07/06), a fim de contribuir nas costuras das chapas para a eleição municipal nos diversos municípios do Estado do Rio de Janeiro.

ESTAMOS NAS REDES

Siga-nos no X

Inscreva-se no no Youtube

O que se comenta é que seu nome vai ser colocado à mesa para o cargo de vice-prefeito do candidato à reeleição e líder até agora nas pesquisas, o atual prefeito, Eduardo Paes (PSD). Há ainda a opção por Adilson Pires, também do PT, mas a decisão depende de Paes, que tende a escolher seu companheiro de partido, Pedro Paulo. Existe a perspectiva de uma candidatura ao governo em 2026, quando Paes deve sair e deixar no cargo alguém de sua mais estrita confiança e correligionário.

Em qualquer posição que se coloque, no entanto, Ceciliano tem duas missões nesse momento: ajudar nas conversações de estruturação da aliança com Paes e, se possível, nas demais dos 92 municípios do Rio. E não duvidem que ele consiga. Ceciliano visitou (ou recebeu em Brasília) 27 governadores e 60% dos prefeitos dos 5.570 municípios do país enquanto ocupava o cargo que acaba de deixar.

Uma das costuras teve início ontem (06/06), juntamente com a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, para a constituição da chapa para a prefeitura de Duque de Caxias. O nome que está se colocando em melhor posição é o do ex-prefeito de Caxias, José Camilo Zito dos Santos Filho, o Zito, que já ocupou o cargo por muitos anos, foi deputado estadual e agora quer retornar ao cargo, onde tem seu reduto eleitoral, com vários familiares também na política da cidade. Muito popular na região da Baixada.

LEIA TAMBÉM

“Nós o colocamos na federação, com muitas chances de uma eleição vitoriosa, principalmente porque a rejeição dele é muito baixa. E assim como estamos fazendo com ele, estamos também conversando em São João de Meriti, Nova Iguaçu, Queimados, Mesquita; estamos falando também na região Noroeste, na região de Campos e Itaperuna. Estamos falando com a Região dos Lagos. Sempre o nosso parâmetro tem que ser a eleição de 2026, que sinalize que vai ficar conosco, porque a eleição é um processo político. A gente vai caminhando e vai construindo”, diz Ceciliano.

Na largada desse processo, antes mesmo de chegar ao Rio para empreender todo esse trabalho, enquanto esvaziava as gavetas em Brasília, André Ceciliano conversou com o “Denise Assis Convida”, programa de entrevistas que vai ao ar aos domingos, às 12h. Nesse bate-papo, Ceciliano revelou todo o percurso que pretende fazer para a montagem das chapas, tanto com nomes do PT quanto de aliados que queiram somar para ampliar o número de prefeituras e cadeiras nas Câmaras Municipais nessas eleições.