Paula Coradi: nova presidenta do PSOL diz que prioridade é combater a extrema direita

O PSOL elegeu, neste domingo(01), a nova presidente do partido, Paula Coradi, durante o 8º Congresso Nacional da legenda. Ela teve 67% dos votos dos 451 delegados e vai permanecer no cargo até 2026.  Coradi agora vai substituir Juliano Medeiros, que comandou a sigla nacionalmente entre os anos de 2017 e 2023. Ela participou ao vivo do programa Central do Brasil desta segunda-feira(02), para comentar sobre o processo eleitoral no congresso e as perspectivas para o mandato. A nova dirigente do partido acredita que, nestes próximos anos, o PSOL deve permanecer na base de apoio do presidente Lula da Silva e construir alianças amplas e alinhadas ao espectro da esquerda durante o processo eleitoral de 2024.  “A gente tirou como linha política prioritária lutar para derrotar a extrema direita no Brasil. A outra decisão que nós reafirmamos é que o PSOL deve continuar sendo base de apoio ao governo Lula, mantendo sua autonomia quando for preciso fazer as críticas necessárias. Mas a gente vai estar empenhado para que o governo Lula dê certo”, explicou. Leia mais ::Eleição municipal é momento-chave para esquerda pautar país, e Boulos pode liderar, diz Genoino:: Coradi assume a função de presidente do PSOL às vésperas das eleições municipais, em que muitos analistas apontam que será marcada pela disputa ideológica entre o campo progressista e a extrema direta, como foi nas eleições presidenciais de 2022; Para isso, ela afirma que o partido traçará como prioridade reeleger prefeitos, como Edmilson Rodrigues, em Belém, e trabalhar pela candidatura de Guilherme Boulos, em São Paulo.  “Nós do PSOL acreditamos que o partido deve construir frentes mais amplas à esquerda, para que a gente derrote o bolsonarismo nas eleições. Nós precisamos reeleger nosso prefeito Edmilson Rodrigues, em Belém; temos muitas possibilidades com Taliria(Petroni) em Niterói, Rio de Janeiro com o Tarcísio (Motta) e de ampliar nossa bancada em todo Brasil”, explicou. Leia mais ::7 em cada 10 eleitores de SP não votariam em candidato indicado por Bolsonaro:: “A eleição do Guilherme Boulos será uma das mais desafiadoras para o nosso partido, com certeza, por conta de nós estarmos falando da maior cidade da América Latina. Então, todo apoio será dado ao Guilherme para que ele se eleja e pode contar totalmente com o PSOL”.  A entrevista completa está disponível na edição desta segunda-feira(02) do Central do Brasil no canal do Brasil de Fato no YouTube. E tem mais! Trabalhadores contra privatização.  Em São Paulo, trabalhadores do Metrô, da CPTM e da Sabesp entram greve, nesta terça-feira(03), contra as privatizações planejadas pelo governo de São Paulo. Nossa equipe foi às ruas para saber o que a população pensa a respeito destes projetos de privatizar as empresas públicas do estado. Guerra  A Polônia se tornou um ponto e tensão. Isso porque o país resolveu proibir a importação de grãos da ucrânia, como forma de proteger a agricultura nacional. A decisão gerou atrito com Kiev, e a Polônia, que faz parte da OTAN, decidiu interromper o fornecimento de armas para a Ucrânia O programa Central do Brasil é uma produção do Brasil de Fato. O programa é exibido de segunda a sexta-feira, ao vivo, sempre às 13h. pela Rede TVT e emissoras parceiras espalhadas pelo país.