Novas revelações

Inquérito sobre "Abin paralela" pode ter novas revelações

Acordos de delação premiada devem ser homologados pelo STF

Carlos e Jair Bolsonaro, investigados no caso da Abin Paralela. Foto: reprodução
Carlos e Jair Bolsonaro, investigados no caso da Abin Paralela. Foto: reprodução

Brasília – O inquérito da Polícia Federal sobre a “Abin paralela”, sob relatoria do ministro Alexandre de Moraes no Supremo Tribunal Federal (STF), está prestes a trazer novidades significativas, conforme fontes do Metrópoles. A investigação apura uma suposta rede de espionagem ilegal organizada pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin) durante o governo Bolsonaro (PL).

ESTAMOS NAS REDES

Inscreva-se no no Youtube

Siga-nos no X

Siga no Instagram

O que você precisa saber

  • Delação premiada: Supremo deve homologar acordos de colaboração.
  • Investigação avançada: Inquérito pode ser concluído em julho ou agosto.
  • Envolvimento político: Carlos Bolsonaro é apontado como líder do esquema.
  • Busca e apreensão: Carlos Bolsonaro já foi alvo de operações da PF.

Acordos de delação premiada

Fontes indicam que o STF deve homologar acordos de delação premiada firmados pela PF com investigados no caso. O diretor-geral da PF, Andrei Passos, mencionou que as negociações estão em fase final e que as colaborações são essenciais para a conclusão do inquérito.

“Em julho, agosto, a gente conclui o inquérito. Tem diligências finais, tem a possibilidade de colaborações de investigados e que está em fase de discussão interna com os possíveis colaboradores, e análise de material”, afirmou Passos.

LEIA TAMBÉM

Envolvimento de Carlos Bolsonaro

O vereador do Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro (PL), conhecido como “filho 02” de Jair Bolsonaro, é apontado pelos investigadores como um dos líderes do núcleo político da Abin paralela. Ele é acusado de solicitar, receber e distribuir informações sobre desafetos políticos, produzidas por membros da agência, para difamá-los nas redes sociais. Em janeiro, Carlos prestou depoimento à PF e foi alvo de uma operação de busca e apreensão.