Genocídio

Israel sequestra US$35 milhões em recursos palestinos

Medida visa transferir fundos a famílias de colonos mortos

Ministro das Finanças de Israel, Bezalel Smotrich, em Jerusalém ocupada, em 3 de junho de 2024 [Saeed Qaq/Agência Anadolu]
Ministro das Finanças de Israel, Bezalel Smotrich, em Jerusalém ocupada, em 3 de junho de 2024 [Saeed Qaq/Agência Anadolu]

Washington – O ministro das Finanças de Israel, Bezalel Smotrich, determinou nesta terça-feira (11) a dedução de aproximadamente US$ 35 milhões de recursos tributários coletados nos territórios ocupados. A decisão faz parte de uma medida de punição coletiva contra os palestinos.

ESTAMOS NAS REDES

Inscreva-se no no Youtube

Siga-nos no X

Siga no Instagram


O que você precisa saber

  • Decisão: Dedução de US$ 35 milhões de tributos palestinos
  • Motivo: Transferência de fundos a famílias de colonos mortos
  • Contexto: Medida de punição coletiva contra palestinos
  • Conflito: Intensificação das tensões entre Israel e a Autoridade Palestina

Fundo para Famílias de Colonos

O ministro Bezalel Smotrich declarou que os recursos deduzidos serão destinados a famílias de colonos supostamente mortos por ataques palestinos. Essa decisão é mais uma ação punitiva de Israel contra os palestinos nativos.

Advertência da Shin Bet

Na semana passada, a agência de segurança interna de Israel, Shin Bet, advertiu que as políticas de Tel Aviv contra a Autoridade Palestina (AP) podem levar ao seu colapso. A AP, que governa partes da Cisjordânia, já enfrenta dificuldades financeiras significativas.

Impacto na Autoridade Palestina

No mês passado, a AP conseguiu pagar apenas metade dos salários do funcionalismo público devido à intensificação da captura de recursos por Israel. Os impostos sobre importações e exportações palestinas são coletados por Israel em nome da AP, conforme o Acordo Econômico de Paris de 1994.

LEIA TAMBÉM

Dependência Econômica

Esse acordo, parte dos Acordos de Oslo, deveria durar cinco anos, mas consolidou a dependência da economia palestina ao sistema aduaneiro israelense. Sob a medida, Israel retém uma comissão de 3%, estimada em US$ 220 milhões mensais.