Incoerência

Hipócritas da direita apoiam Israel onde aborto é permitido

Brasileiros mantêm apoio mesmo com divergências em casamento homoafetivo e aborto

Israelenses e turistas na Parada do Orgulho Gay em Tel Aviv, em Israel, em 8 de junho de 2018. Foto: AP
Israelenses e turistas na Parada do Orgulho Gay em Tel Aviv, em Israel, em 8 de junho de 2018. Foto: AP

Rio de Janeiro – Grupos conservadores e de direita no Brasil, especialmente bolsonaristas e políticos evangélicos, têm demonstrado forte apoio a Israel desde o início da guerra na Faixa de Gaza.

ESTAMOS NAS REDES

Inscreva-se no no Youtube

Siga-nos no X

Siga no Instagram

Apesar desse apoio, Israel possui posições mais liberais em temas como casamento homoafetivo e aborto.


O que você precisa saber

Apoio a Israel

  • Conservadores brasileiros apoiam Israel com base em laços cristãos e simbolismo bíblico.

Aborto em Israel

  • Israel aprovou lei em 2022 tornando o aborto mais acessível.
  • Aborto permitido em casos específicos, incluindo perigo à vida e gravidez resultante de estupro.

Direitos LGBTQIA+ em Israel

  • Casamentos homoafetivos não realizados em Israel, mas reconhecidos se celebrados no exterior.
  • Direitos garantidos a pensões, herança e adoção para casais homossexuais.
  • Leis garantem não discriminação por orientação sexual no trabalho.

Apoio Conservador a Israel

Desde o início da guerra na Faixa de Gaza, conservadores brasileiros têm expressado forte apoio a Israel. Esse apoio é frequentemente fundamentado em laços cristãos e simbolismo bíblico e histórico.

Políticas de Aborto em Israel

Em junho de 2022, Israel aprovou uma lei que tornou o aborto mais acessível. O aborto é permitido em casos como gravidez de menores de 18 anos, gravidez fora do casamento, gravidez após os 40 anos, casos de incesto ou estupro, risco de doenças fetais e perigo à vida ou saúde da gestante. A taxa de aborto em Israel tem caído devido ao maior acesso ao controle de natalidade.

LEIA TAMBÉM

Direitos LGBTQIA+ em Israel

Embora Israel não realize casamentos homoafetivos, o Supremo Tribunal reconhece casamentos celebrados no exterior. Casais homossexuais têm direitos a pensões, herança e adoção. Leis garantem a não discriminação por orientação sexual e identidade de gênero no trabalho.