Crédito Brasil

Lula promete “revolução de crédito” no Brasil

Programa Acredita visa crédito acessível para pequenos empreendedores

Lula (Foto: Ricardo Stuckert / PR)
Lula (Foto: Ricardo Stuckert / PR)

Feira de Santana – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta segunda-feira (1) que pretende promover uma “revolução de crédito” no Brasil.

A declaração foi feita durante uma entrevista à Rádio Princesa e está relacionada às metas do programa Acredita, que visa garantir acesso a crédito com taxas diferenciadas para pequenos empreendedores.

O que você precisa saber

  • Programa Acredita: Facilitar o acesso ao crédito para pequenos empreendedores.
  • Objetivo: Promover uma revolução creditícia no Brasil.
  • Taxas diferenciadas: Garantir juros baixos para incentivar investimentos.
  • Beneficiados: Pequenos empreendedores e setor da habitação.
  • Controle da inflação: Compromisso do governo para manter inflação baixa.

Como será a implementação do Acredita?

O presidente Lula destacou que o governo federal está finalizando os últimos detalhes do programa Acredita. “Ele só vai ser concluído em setembro porque são várias entidades. Banco do Brasil, Caixa Econômica, BNDES, ministérios da Fazenda, Casa Civil, Meio Ambiente, SEBRAE… Como tem muito ministério, leva um tempo para a gente saber o que cada um vai fazer”, explicou.

Qual é o impacto esperado?

Lula acredita que o programa será uma revolução no acesso ao crédito no país. “Eu tenho certeza de que o programa Acredita será uma revolução creditícia nesse país. Se o país tiver crédito, vai para frente. É preciso crédito a juros barato para que o povo possa ter vontade de investir”, disse.


LEIA TAMBÉM

Como o governo está lidando com a inflação?

Outro ponto destacado pelo presidente foi o compromisso com o controle da inflação. “Inflação baixa, para mim, não é desejo, é obsessão. Porque sei que, quanto mais baixa a inflação, mais o trabalhador tem poder aquisitivo, mais o dinheiro dele rende. Isso é uma profissão de fé que carrego. A inflação tem que ser baixa, o governo precisa gastar corretamente, o governo tem que fazer coisas para que sobre dinheiro para investimento”, afirmou.