Selic mantida

Copom mantém Selic em 10,50% ao ano

Banco Central justifica decisão com cenário inflacionário

Banco Central do Brasil
Banco Central do Brasil - Reprodução

Brasília – O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central decidiu nesta quarta-feira (19) manter a taxa Selic em 10,50% ao ano. Todos os diretores do Copom, incluindo o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, e os integrantes indicados pelo presidente Lula, votaram pela manutenção da taxa.

ESTAMOS NAS REDES

Inscreva-se no no Youtube

Siga-nos no X

Siga no Instagram

O que você precisa saber

  • Decisão unânime: Todos os diretores do Copom votaram pela manutenção da Selic em 10,50% ao ano.
  • Fim dos cortes: A Selic foi reduzida sete vezes consecutivas desde agosto de 2023.
  • Cenário inflacionário: O Copom destaca a necessidade de cautela diante dos riscos inflacionários.
  • Críticas de Lula: O presidente Lula criticou a postura do Banco Central em relação à taxa de juros.

Corte de taxas interrompido

O ciclo de cortes iniciado em agosto de 2023 terminou, com a Selic sendo reduzida de 13,75% ao ano para 10,50% ao ano.

Riscos inflacionários

O comunicado do Copom enfatiza a necessidade de cautela devido a pressões inflacionárias globais e a resiliência da inflação de serviços.

“Entre os riscos de alta para o cenário inflacionário e as expectativas de inflação, destacam-se uma maior persistência das pressões inflacionárias globais; e uma maior resiliência na inflação de serviços do que a projetada”, afirmou o comunicado.

Críticas do presidente Lula

O presidente Lula criticou o Banco Central, chamando a postura da instituição de prejudicial para o país e a taxa de juros de injustificável.

“Só temos uma coisa desajustada neste país: é o comportamento do Banco Central. Essa é uma coisa desajustada. Presidente que tem lado político, que trabalha para prejudicar o país. Não tem explicação a taxa de juros estar como está”, declarou Lula.

Expectativas do mercado financeiro

Desde a semana passada, o mercado financeiro ajustou suas expectativas, prevendo a manutenção da taxa básica de juros. O relatório “Focus” apontou que a maioria das instituições financeiras projetam a Selic em 10,50% ao ano até o fim de 2024.

Influência da Selic

Com a Selic mantida em 10,50% ao ano, a taxa permanece no menor nível desde fevereiro de 2022, quando estava em 9,25% ao ano. A Selic influencia todas as taxas de juros do país, incluindo empréstimos, financiamentos e aplicações financeiras.

LEIA TAMBÉM

Reuniões futuras do Copom

O Copom, formado pelo presidente do Banco Central e oito diretores, se reúne a cada 45 dias para definir a Selic. Em 2024, estão previstas mais quatro reuniões.