Festival do Rio 2023 anuncia selecionados para a maior janela do cinema brasileiro, a Première Brasil

De 5 a 15 de outubro, a Première Brasil apresenta 91 produções brasileiras inéditas, entre longas e curtas, dentro do Festival do Rio. Os filmes das mostras competitivas concorrem ao Troféu Redentor em diversas categorias

Considerada uma das principais vitrines do cinema brasileiro, a Première Brasil anuncia sua seleção para o Festival do Rio 2023. Para a 25ª edição do evento, foram selecionadas 91 produções nacionais – entre longas e curtas – um grande panorama de jovens e consagrados realizadores, com toda a diversidade e criatividade do cinema brasileiro. O Festival do Rio recebeu 1.108 inscrições – 790 curtas e 318 longas – de cineastas de todo o Brasil, assim como coproduções com nosso país. A Première Brasil leva ao público estas 91 produções nas mostras competitivas – Competição Oficial e Novos Rumos – e nas seleções especiais Hors Concours, Retratos e O Estado das Coisas.

Première Brasil tambémrealiza sessões e debates presenciais com as equipes dos filmes e traz para o público uma oportunidade única de conhecer o cinema brasileiro que estará nas telas dos cinemas durante o próximo ano. Coproduções com o Brasil e clássicos brasileiros restaurados também compõem uma seleção vasta, capaz de criar novas plateias para o nosso cinema. São 40 estreias mundiais, 54 longas e 38 curtas, em uma grande celebração da produção brasileira.

Em sua histórica edição comemorando 25 anos, o Festival do Rio celebra todos os cinemas e todos os públicos, se espalhando por toda a cidade do Rio de Janeiro e convidando novas plateias a fazer parte dessa história. O evento tem a honra de ser apresentado pelo Ministério da Cultura, pela Shell e pela Prefeitura do Rio. Tem patrocínio master da Shell através da Lei Federal de Incentivo à Cultura, e o apoio especial da Prefeitura do Rio – por meio da RioFilme, órgão que integra a Secretaria Municipal de Cultura. O Festival do Rio é realizado pelo Cinema do Rio e pela Ministério da Cultura / Governo Federal.

 

Conheça a seleção completa de filmes da PREMIERE BRASIL 2023:

Première Brasil – Competição

Competição Longas de Ficção

 Ana, de Marcus Faustini (RJ) – Première Mundial

• A Batalha da Rua Maria Antônia, de Vera Egito (SP) – Première Mundial

• A Festa de Léo, de Luciana Bezerra e Gustavo Melo (RJ) – Première Mundial

• As Polacas, de João Jardim (RJ) – Première Mundial

• Até Que a Música Pare, de Cristiane Oliveira (RS) – Première Mundial

• Cinco da Tarde, de Eduardo Nunes (RJ) – Première Mundial

• Estranho Caminho, de Guto Parente (CE) – Première Mundial

• Levante, de Lillah Halla (SP) – Première Nacional

• O Dia Que Te Conheci, de André Novais Oliveira (MG) – Première Mundial

• O Mensageiro, de Lúcia Murat (RJ) – Première Mundial

• Onoff, de Lírio Ferreira (RJ) – Première Mundial

• Pedágio, de Carolina Markowicz (SP) – Première Nacional

• Sem Coração, de Nara Normande e Tião (PE) – Première Nacional

Competição Longas Documentários

• Assexybilidade, de Daniel Gonçalves (RJ) – Première Nacional

• Black Rio! Black Power!, de Emílio Domingos (RJ) – Première Mundial

• Helô, de Lula Buarque de Hollanda (RJ) – Première Mundial

• Línguas da Nossa Língua, de Estevão Ciavatta (RJ) – Première Mundial

• O Coro do Te-Ato, de Stella Oswaldo Cruz Penido (RJ) – Première Mundial

• Othelo, o Grande, de Lucas H. Rossi dos Santos (RJ) – Première Mundial

• Utopia Tropical, de João Amorim (DF) – Première Mundial

Hors Concours

• A Flor do Buriti, de João Salaviza e Renée Nader Messora (Brasil/Portugal)

• A Paixão Segundo G.H., de Luiz Fernando Carvalho (RJ) – Première Mundial

• Leme do Destino, de Julio Bressane (RJ) – Première Mundial

• Meu Nome é Gal, de Dandara Ferreira e Lô Politi (SP) – Première Mundial

• Meu Sangue Ferve Por Você, de Paulo Machline (SP) – Première Mundial

• Mussum, o Filmis, de Sílvio Guindane (RJ)

• O Diabo da Rua no Meio do Redemunho, de Bia Lessa (RJ) – Première Mundial

Premiere Brasil – Gala de Encerramento

• O Sequestro do Voo 375, de Marcus Baldini (SP)

Competição Curtas

• A Lama da Mãe Morta, de Camilo Pellegrini (RJ)

• Bença, de Mano Cappu (PR)

• Cabana, de Adriana de Faria (PA)

• Cassandra, de Paula Granato (SP)

• Deixa, de Mariana Jaspe (RJ)

• Diamantes de Acayaca, de Francisco Nora Franco e Fernanda Roque (MG)

• Engole o Choro, de Fábio Rodrigo (SP)

• Mergulho, de Marton Olympio e Anderson Jesus (RJ)

• Nina e o Abismo, de Alice Name-Bontempo (SP)

• Onde a Floresta Acaba, de Otavio Cury (SP)

• Pássaro Memória, de Leonardo Martinelli (RJ)

• Pequenas Insurreições, de William de Oliveira (PR)

• Quarto de Hotel, de Marcelo Ribas Grabowsky e Mauro Pinheiro Jr. (RJ)

• Thuë Pihi Kuuwi – Uma Mulher Pensando, de Aida Harika Yanomami, Roseane Yariana Yanomami e Edmar Tokorino Yanomami (SP)

• Tudo o Que Cresce e Voa, de Maria Fanchin (SP)

• Vão das Almas, de Edileuza Penha e Santiago Dellape (DF)

Première Brasil – Competição Novos Rumos

Competição Novos Rumos Longas

• Atmosfera, de Paulo Caldas (SP) – Première Mundial

• Bizarros Peixes das Fossas Abissais, de Marão (RJ) – Première Nacional

• Eu sou Maria, de Clara Linhart (RJ) – Première Mundial

• Iracemas, de Tuca Siqueira (PE) – Première Mundial

• Nada Será Como Antes, de Ana Rieper (RJ) – Première Mundial

• Saudade Fez Morada Aqui Dentro, de Haroldo Borges (BA) – Première Mundial

• Termodielétrico, de Ana Costa Ribeiro, 72’ (RJ) – Première Mundial

• Tudo Que Você Podia Ser, de Ricardo Alves Jr (MG) – Première Mundial

Competição Curtas Novos Rumos

• A Alma das Coisas, de Douglas Soares e Felipe Herzog (RJ)

• As Miçangas, de Rafaela Camelo e Emanuel Lavor (DF)

• Castanho, de Adanilo (AM)

• Dependências, de Luísa Arraes (RJ)

• Erva de Gato, de Novíssimo Edgar (SP)

• Jaguanum, de Samuel Lobo (RJ)

• Queime Este Corpo, de Denis Cisma e Mauricio Bouzon (SP)

• Se Precisar de Algo, de Mariana Cobra (SP)

Premiere Brasil Retratos

Longas Retratos

• Aretha no Everest, de Roberta Estrela D’Alva e Tatiana Lohmann (RJ) – Première Mundial

• Dois Sertões, de Caio Resende e Fabiana Leite (BA) – Première Mundial

• Nas Ondas de Dorival Caymmi, de Locca Faria (RJ) – Première Mundial

• Nelson Pereira dos Santos – Uma Vida de Cinema, de Ivelise Ferreira e Aída Marques (RJ) – Première Nacional

• Peréio, Eu Te Odeio, de Tasso Dourado e Allan Sieber (RJ) – Première Mundial

• Rio da Dúvida, de Joel Pizzini (RJ) – Première Nacional

• Roberto Farias – Memórias de um Cineasta, de Marise Farias (RJ)

• Samuel Wainer, de Dario Menezes (RJ) – Première Mundial

Curtas Retratos

• A Edição do Nordeste, de Pedro Fiuza (RN)

• Arruma um Pessoal pra Gente Botar uma Macumba num Disco, de Chico Serra (RJ)

• Celebrazione, de Luís Carlos Lacerda (RJ)

• Macaléia, de Rejane Zilles (RJ)

• Teatro de Máscaras, de Eduardo Ades (RJ)

Premiere Brasil O Estado das Coisas
 

Longas O Estado das Coisas

• Aqui en la Frontera, de Marcela Ulhoa e Daniel Tancredi (RR)

• Bye, Bye Amazônia, de Neville de Almeida (RJ)

• Corpos Invisíveis, de Quézia Lopes (RJ) – Première Mundial

• Incompatível Com a Vida, de Eliza Capai (RJ)

• Rapacidade, de Julia de Simone e Ricardo Pretti (RJ)

• Rejeito, de Pedro de Filippis (SP)

• Toda Noite Estarei Lá, de Tati Franklin e Suellen Vasconcelos (ES)

Curtas O Estado das Coisas

• Quarta-Feira, de Bárbara Santos e João Pedro Prado (Brasil/Alemanha)

• Camorim, de Renan Barbosa Brandão (RJ)

• Por Favor Leiam Para Que Eu Descanse Em Paz, de Anna Costa e Silva e Nanda Félix (RJ)

• Yãmî Yah-Pá – Fim da Noite, de Vladimir Seixas (RJ)

Exibicão Especial de Curtas

• Aquela Mulher, de Cristina Lago e Marina Erlanger (RJ)

• Ficção Suburbana, de Rossandra Leone (RJ)

• Helena de Guaratiba, de Karen Black (RJ)

 Noturnade Gabriela Poester (RJ)

• O Chá de Alice,de Simone Spoladore (RJ)

Sessões Especiais

• Fala, Tu, de Guilherme Coelho (aniversário 20 anos)

• Quantos dias quantas noites, de Cacau Rhoden

Itinerários Únicos

• Egili – Rainha Retinta do Carnaval, de Carolina Reucker (RJ) – Première Mundial

• Mulheres Radicais, de Isabel Nascimento Silva (RJ) – Première Mundial

• Raoni, Uma Amizade Improvável, de Jean-Pierre Dutilleux (RJ) – Première Mundial

Coproduções com o Brasil

• Los Delincuentes, de Rodrigo Moreno (Brasil/Argentina/Luxemburgo/Chile)

• Los de Abajo / Os de Baixo, de Alejandro Quiroga Guerra (Brasil/Argentina/Bolívia/Colômbia)

• Posto Avançado, de Edoardo Morabito (Brasil/Itália)

• Puan, de Benjamín Naishtat e María Alché (Brasil/ Argentina/França/Itália/Alemanha)

• Scab Vendor: The Life and Times of Jonathan Shaw, de Mariana Thomé, Lucas de Barros (Brasil/EUA)

• Somos Guardiões, de Edivan Guajajara, Chelsea Greene e Rob Grobman (Brasil/EUA)

 The Ballad of a Hustler (Sem Pátria), de Heitor Dhalia (Brasil/EUA)

• The Human Surge 3 (O Auge do Humano 3), de Eduardo “Teddy” Williams (Brasil /Taiwan/Argentina/Portugal/Holanda/Peru/Hong Kong/Sri Lanka)

• Nas Pegadas de Mengele, de Alejandro Venturini e Tomás de Leone (Brasil/Argentina)

Sobre o Festival do Rio

Festival do Rio é um dos maiores da América Latina. Desde sua criação, já foram exibidos 7 mil longas, incluindo obras recém-premiadas em Cannes, Berlim, Toronto, Veneza e outros. Formador de público, mas também de mão de obra, o Festival do Rio capacitou milhares de profissionais. Anualmente o evento reúne, além de filmes exibidos nos mais importantes festivais mundiais, diversas mostras temáticas e sessões populares. Distribuídos em diferentes mostras, incluindo a competitiva Première Brasil, os filmes nacionais compõem parte fundamental do festival, que é a maior vitrine da produção brasileira. Na área profissional e de negócios, o RioMarket reúne executivos, talentos e profissionais do audiovisual.

Festival do Rio é apresentado pelo Ministério da Cultura, Shell e Prefeitura do Rio. Tem patrocínio master da Shell através da Lei Federal de Incentivo a Cultura, e apoio especial da Prefeitura do Rio – por meio da RioFilme, órgão que integra a Secretaria Municipal de Cultura. Realização: Cinema do Rio e Ministério da Cultura / Governo Federal.

*****

Sobre a Shell

Há 110 anos no país, a Shell é uma empresa de energia integrada com participação em Upstream, no Novo Mercado de Gás Natural, Trading, Pesquisa & Desenvolvimento e no Desenvolvimento de Energias Renováveis, com um negócio de comercialização no mercado livre e produtos ambientais, a Shell Energy Brasil. Aqui, a distribuição de combustíveis é gerenciada pela joint-venture Raízen, que recentemente adquiriu também o negócio de lubrificantes da Shell Brasil. A companhia trabalha para atender à crescente demanda por energia de forma econômica, ambiental e socialmente responsável, avaliando tendências e cenários para responder ao desafio do futuro da energia.

Para imagens e trailers:

Em breve, as fotos e os trailers dos filmes estarão no site do festival. Para acessá-los, entre no site do Festival, busque à direita na tela o filme que interessa à você. Na página do filme, você pode fazer o download das fotos clicando com a tecla direita do mouse, ou acessar o trailer hospedado no Youtube na aba trailer.