Fenômeno climático

Microexplosão atmosférica atinge São Luiz Gonzaga - RS

Fenômeno causado por instabilidade climática afeta mais de mil residências

Fenômeno se dá quando há intensa instabilidade associada a frente fria. Casa Civil RS/Divulgação
Fenômeno se dá quando há intensa instabilidade associada a frente fria. Casa Civil RS/Divulgação

São Luiz Gonzaga – Um fenômeno conhecido como “microexplosão” atingiu o município de São Luiz Gonzaga, no noroeste do Rio Grande do Sul, na noite deste sábado (15).

De acordo com a Defesa Civil, a microexplosão foi causada por intensa instabilidade associada a uma frente fria estacionária e umidade do norte do país.

Uma pessoa ficou ferida ao tentar proteger sua casa.

ESTAMOS NAS REDES

Inscreva-se no no Youtube

Siga-nos no X

Siga no Instagram


O que você precisa saber:

  • Fenômeno climático: Microexplosão atinge São Luiz Gonzaga, causando danos significativos.
  • Estragos extensivos: Mais de 1.200 residências foram destelhadas, além de quatro escolas e dois postos de saúde.
  • Ferimento: Uma pessoa ficou ferida ao tentar cobrir sua residência.
  • Apoio governamental: Ministro Paulo Pimenta acompanha a situação e oferece suporte.
  • Alerta contínuo: Defesa Civil emitiu alerta de chuva intensa e ventos fortes até as 19h de domingo.

Danos extensivos na cidade

O levantamento inicial da prefeitura de São Luiz Gonzaga apontou que cerca de 1.200 residências, quatro escolas, dois postos de saúde, o prédio da Secretaria Municipal de Saúde, o Museu Arqueológico e diversos estabelecimentos comerciais foram destelhados pelos ventos fortes e queda de granizo.

Apoio e resposta imediata

O ministro extraordinário de Apoio à Reconstrução do Rio Grande do Sul, Paulo Pimenta, comunicou que está acompanhando a situação de perto e já fez contato com a Defesa Civil Nacional para garantir suporte à cidade. “O governo do presidente Lula estará presente, dando apoio a São Luiz Gonzaga“, afirmou Pimenta.

Explicação do fenômeno

A microexplosão, conforme a Defesa Civil estadual, ocorre quando tempestades intensas acumulam grandes volumes de água, que são despejados rapidamente em direção ao solo, acompanhados de rajadas de vento que podem chegar a 150 km/h. A conclusão foi baseada nos danos observados e nas imagens captadas pela Brigada Militar.

LEIA TAMBÉM

Medidas de segurança

No fim da manhã de domingo, a Defesa Civil emitiu um alerta de chuva intensa, risco de alagamentos, ventos fortes e descargas elétricas até as 19h. A população foi aconselhada a buscar abrigo seguro e evitar atravessar áreas alagadas.