Violência racial

Estupros de meninas negras dobram em 12 anos

Estudo revela que 40% das vítimas são crianças e adolescentes negras

(Foto: Freepick via Agência Brasil)
(Foto: Freepick via Agência Brasil)

São Paulo – Um estudo do Instituto Insper revelou que crianças e adolescentes negras representam cerca de 40% dos casos de estupro no Brasil, o dobro da incidência em comparação com meninas brancas.

A pesquisa, baseada em dados do Sistema Nacional de Atendimento Médico, foi divulgada nesta segunda-feira (1).

O que você precisa saber:

  • Jovens negros correspondem a 13% da população brasileira
  • Em 2010, 3 em cada 10 vítimas de estupro eram crianças e adolescentes negras
  • Em 2022, esse número aumentou para 4 em cada 10
  • Meninas brancas representam 20% das vítimas

Aumento alarmante de casos

Entre 2010 e 2022, o número de registros de estupros cresceu 420%, passando de 7.617 para 39.661 casos. Portanto, houve um aumento significativo na proporção de vítimas negras.Em 2010, as negras representavam 48,4% das vítimas. Contudo, em 2022, esse percentual subiu para 60%. Por outro lado, a proporção de vítimas brancas caiu de 38,1% para 33,3% no mesmo período.


LEIA TAMBÉM

Disparidade racial

O estudo destaca a disparidade racial nos casos de estupro. Enquanto as meninas negras representam 40% das vítimas, as brancas correspondem a 20%. Essa diferença é ainda mais alarmante considerando que jovens negros são apenas 13% da população brasileira.